Publicado em Deixe um comentário

Artropatia pós-traumática e osteoartrite primária das diferenças artroscópicas e clínicas do joelho

a artropatia pós – traumática (PTA) desenvolve-se após um trauma agudo, directo ou repetitivo e indirecto, conduzindo a uma sobrecarga mecânica excessiva da cartilagem articular. O diagnóstico da PTA e da osteoartrite primária (OA) requer a utilização de técnicas modernas de imagiologia, incluindo artroscopia. As diferenças entre PTA e a OA primária artroscopicamente ainda não são bem conhecidas. Neste estudo, avaliámos as diferenças artroscópicas e clínicas entre a PTA e a OA primária do joelho. Foram incluídos dois grupos de doentes no estudo: 18 doentes com início de PTA clinicamente sintomática após trauma agudo directo ou microtraumas indirectas do joelho bem definidas e documentadas; 71 doentes com OA primário do joelho. Os critérios utilizados para a elegibilidade foram: idade de 18 a 65 anos, dor persistente por mais de 6 meses, controle inadequado da dor. A actividade e gravidade da doença foram avaliadas utilizando as seguintes variáveis:: avaliação da intensidade da dor (escala analógica Visual – SAV, 0-100 mm), incapacidade funcional (índice funcional de Lequesne), presença ou ausência de efusão no joelho. A artroscopia foi realizada sob anestesia local na clínica de Reumatologia-Plovdiv com artroscópio de 4, 5 mm. Dois métodos de pontuação da avaliação de chondropathy foram utilizados: 1) a avaliação global dos pesquisadores – VAS (0-100 mm) e 2) o método de pontuação proposto pela Sociedade francesa de Artroscopia – SFA pontuação (0-100), incluindo a localização, a profundidade e o tamanho das superfícies articulares envolvidos. A sinovite foi avaliada por uma pontuação total baseada na intensidade e extensão da inflamação. Não foram detectadas diferenças significativas entre os dois grupos no que diz respeito à duração da doença, o índice funcional do IMC e do Lequesne. A intensidade da dor é significativamente maior em doentes com PTA. Comparando PTA e OA primários de acordo com as pontuações do SAV e do SFA, confirmamos que a gravidade da Condropatia pós-traumática é estatisticamente muito menor. Foi também encontrada uma diferença significativa na gravidade da sinovite. Os doentes que sofrem de PTA diferem dos doentes com OA primário clinicamente e artroscopicamente. O aspecto artroscópico da Condropatia pós-traumática e da OA primária é muito semelhante, mas a quebra da cartilagem na OA primária é mais pesada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.