Publicado em Deixe um comentário

Tipos de Canais de Distribuição

iii. Distribuição exclusiva é muito mais restritivo. Neste caso, existe frequentemente apenas uma empresa exclusiva em qualquer área geográfica. Os principais concessionários para automóveis entram nesta categoria, mas, além de vendas, eles oferecem serviços, reparos e instalações de garantia. Eles recebem o benefício da exclusividade que reduz a concorrência.

é provável que a relação seja formalizada com um contrato legal que inclua metas e obrigações para o distribuidor. Em troca de agir como distribuidor local da Ford, BMW ou Rover, o distribuidor poderia receber ajuda promocional.

Tipos de Canais de Distribuição – Classificados em 3 Categorias diferentes

Dependendo do número de intermediários envolvidos, os canais de distribuição podem ser classificados da seguinte forma:

(i) Fabricante→ Cliente:

Este é também conhecido como direct definição porque sem intermediários está envolvido. Um produtor pode vender directamente através das suas próprias lojas de retalho (por exemplo, Bata), através do correio ou através da venda porta-a-porta. Este é o canal mais simples e mais curto. É rápido e econômico. Permite que o produtor tenha contato direto com os clientes e controle total sobre a distribuição de seu produto. Mas um fabricante de pequena escala raramente pode pagar o investimento e a experiência necessários para a venda direta. Este canal é mais comum na distribuição de bens industriais como máquinas pesadas, produtos químicos industriais, etc. (ii) fabricante → retalhista → cliente: neste canal, o produtor vende a grandes retalhistas como lojas departamentais e cadeias de lojas que, por sua vez, vendem ao consumidor. Este canal é muito popular na distribuição de bens de consumo duráveis, tais como frigoríficos, televisores, máquinas de lavar roupa, escritores de tipo, automóveis, etc.

(iii) fabricante → grossista → retalhista → cliente:

Este é o canal tradicional de distribuição. É amplamente utilizado na distribuição de produtos de consumo como mercearias, drogas, cosméticos, etc. É bastante adequado para os produtores de pequena escala, cuja linha de produtos é estreita e que necessitam dos Serviços especializados e apoio promocional dos grossistas. Mas neste canal o produtor perde contato direto com seus clientes e controle sobre a distribuição. Em alguns casos, um agente é empregado em vez de / além do grossista. Por exemplo, na distribuição de tecidos, as fábricas designam geralmente um único agente/distribuidor para além dos grossistas e retalhistas. tipos de canais de Distribuição – 2 principais canais primários: Canais directos e indirectos

os dois canais primários através dos quais a distribuição dos produtos pode ser feita:

1. Canal directo

2. Canal indirecto

1. Canal direto:

Aqui o vendedor de um produto ou serviço vende o produto diretamente ao cliente. O vendedor pode manter a sua própria força de vendas para fechar negócios com clientes ou vender seus produtos ou serviços através de um site de comércio eletrônico. A abordagem de vendas diretas exige que os vendedores assumam as despesas de contratar e treinar uma equipe de vendas ou construir e hospedar uma operação de comércio eletrônico. este é o mais antigo, mais curto e simples canal de distribuição. O produtor vende o produto directamente sem o envolvimento de qualquer intermediário. A venda pode ser feita de porta em porta através de vendedor, lojas de varejo e correio direto.

a Vantagem de Venda através de Canais Diretos:

eu. É simples e rápida

ii. Ele é econômico

iii. O produtor tem total controle sobre a distribuição

iv. Ele satisfaz o desejo de reduzir a dependência do meio dos homens

v. Resulta em vendas em numerário desvantagens da venda através de canais directos: Não disponibilidade de Serviços especializados do homem médio. é necessário um grande investimento.

iii. Inadequado para os pequenos produtores

iv. Métodos de venda através de canais diretos

v. a Venda de mercadorias através da própria rede de varejo

vi. A venda de mercadorias por meio de serviços postais

vii. A venda de mercadorias através de serviços de courier

viii. Venda de bens contra ordens recebidas, por telefone, e-mail, no caso de telemarketing

2. Canal Indirecto:as actividades de venda de indivíduos e organizações são exercidas por terceiros, denominados intermediários. Exemplos de intermediários incluem revendedores de valor acrescentado, integradores de sistemas, prestadores de serviços geridos, grossistas, retalhistas e distribuidores. Cada tipo de intermediário representa um canal, com as suas próprias características distintas. Um fornecedor desenvolve uma estratégia de canal para determinar quais os tipos de intermediários a atingir e como otimizar as relações de parceiros para aumentar as vendas e melhorar a distribuição. venda através do canal indirecto:de acordo com este método de venda indirecta, o produto é transmitido aos clientes através de intermediários, conhecidos como grossistas, retalhistas e agentes. Uma empresa pode projetar qualquer número de canais. Os canais são classificados pelo número de intermediários entre produtor e consumidor.

Os Diferentes níveis de Canais de Distribuição ou canais de Marketing/Trade Canais são dadas como abaixo:

eu. Um canal de nível zero

ii. Um nível de um canal

iii. Um nível de dois canais

iv. Um nível de três canal

v. Um nível de quatro canais

eu. Canais de nível Zero-(produtor-cliente):

Como o nome indica, este canal não tem um intermediário e é utilizado na comercialização directa. Este é o canal mais simples e mais curto em que nenhum intermediário está envolvido e os produtores vendem directamente os seus produtos aos consumidores. É um canal de distribuição rápido e econômico. sob ela, o próprio produtor ou empresário realiza todas as actividades de marketing e tem total controlo sobre a distribuição. Um produtor pode vender directamente aos consumidores através de vendedores ambulantes, de correio directo ou através das suas próprias lojas de retalho. As grandes empresas adoptam este canal para reduzir os custos de distribuição e vender produtos industriais de elevado valor. Os pequenos produtores e produtores de mercadorias perecíveis também vendem diretamente aos consumidores locais. este canal de distribuição envolve apenas um intermediário denominado “retalhista”. Sob ele, o produtor vende seu produto para grandes varejistas que compram bens em grandes quantidades e que, por sua vez, vender para os consumidores finais. Este canal alivia o fabricante do fardo de vender os bens e, ao mesmo tempo, lhe dá o controle sobre o processo de distribuição. Isto é muitas vezes adequado para a distribuição de bens de consumo duradouros e produtos de alto valor. canal de dois níveis (produtor-grossista-retalhista-cliente):

Este é o canal de distribuição mais comum e tradicional. No âmbito deste acordo, estão envolvidos dois intermediários, nomeadamente os grossistas e os retalhistas. Aqui, o produtor vende o seu produto a grossistas, que, por sua vez, o vendem a retalhistas. E os varejistas finalmente vendem o produto para os consumidores finais. este canal é adequado para os produtores com um financiamento limitado, uma linha de produtos estreita e que necessitavam de Serviços especializados e de apoio promocional por parte dos grossistas. Isto é mais adequado para os produtos com mercado amplamente disperso. IV. canal de três níveis (produtor – agente-grossista-retalhista-cliente):

Este é um canal de distribuição muito longo em que estão envolvidos três intermediários, nomeadamente o agente, o grossista e o retalhista. Isto é usado quando o produtor quer ser totalmente aliviado do problema da distribuição e, portanto, entrega toda a sua produção aos agentes de venda. Os agentes distribuem o produto entre alguns grossistas. cada grossista distribui o produto entre vários retalhistas que o vendem finalmente aos consumidores finais. Este canal é adequado para uma distribuição mais ampla de vários produtos industriais. canal de quatro níveis – (produtor-distribuidor-agente-grossista-retalhista-retalhista-cliente):este é o canal mais longo, onde as mercadorias passam por quatro intermediários antes de chegarem ao Utilizador Final. Principalmente, no caso de culturas, legumes, trigo, frutas, etc., este canal é mais popular, embora com a intervenção dos governos central e estadual, alguns intermediários são cortados da lista. O preço de um produto tende a ser bastante elevado neste canal. tipos de canais de Distribuição – 3 outros tipos: Sistema de distribuição híbrido, Grossista e distribuição física

tipo # 1. Sistema De Distribuição Híbrido: uma empresa deve gerir um sistema de distribuição híbrido para evitar o caos e maximizar a eficiência, responsabilidades, relações e compensações entre vários membros do canal.

uma empresa recebe seu sistema de distribuição em legado. A empresa inicia sua jornada servindo um determinado tipo de clientes. A empresa pode ter tido como alvo as grandes empresas inicialmente, por isso criou uma equipa de vendedores para servir e gerir estas grandes contas. Mas logo descobriu que as empresas menores estavam interessadas em seu produto.

ele usou sua força de vendas existente para servir essas pequenas contas também, mas logo descobriu que não era econômico servir essas pequenas contas com sua força de vendas existente. Então a empresa nomeia uma equipa de telemarketing para servir estas pequenas contas. Mas os vendedores mantiveram-se responsáveis pelas pequenas contas que se encontram no seu território. os telemarketing também foram convidados a lidar com assuntos rotineiros das grandes contas para libertar algum tempo precioso dos vendedores. À medida que os mercados do produto cresciam, a empresa decidiu nomear distribuidores independentes para abastecer e vender seus produtos. Um grupo separado de Comerciantes cuida desta parte deste negócio. logo houve uma grande confusão. Ninguém sabia a quem ele tinha de vender, e quem era o cliente de outra pessoa. Os mesmos clientes estavam sendo solicitados por diferentes membros de diferentes canais com diferentes tipos de ofertas. Mais de uma pessoa pediu uma indemnização por uma venda. Os clientes não sabiam quem contactar para consultas ou problemas específicos. não é que a empresa pudesse ter evitado este caos ao continuar a vender apenas empregando uma força de vendas correcta. Seria proibitivamente dispendioso servir pequenas contas utilizando a força de vendas directas. Do mesmo modo, se a empresa tivesse começado com distribuidores independentes que prestam serviços a pequenas contas, teria de nomear vendedores para servirem grandes contas se tais oportunidades surgissem. Não se pode confiar nos distribuidores independentes para prestar os serviços que as grandes contas esperam. por conseguinte, à medida que o conjunto de clientes de uma empresa se torna mais diversificado, a manutenção de um único canal de distribuição tornar-se-á ineficaz ou pouco económica. Adicionar novos canais é imperativo quando as necessidades dos clientes se tornam diversificadas. Mas o processo pode ser realizado em um mais pensativo e deliberado muitos, em vez de ser uma reação knee-jerk a diversidade crescente entre os clientes. três questões são importantes nesta tarefa. Que Canal é suposto servir que clientes? Que Canal faz que tarefas da função de vendas, e para que clientes? Que Canal é compensado por que clientes e por que tarefas? Estas são questões complicadas e não haverá respostas directas.

mas é importante fazer estas perguntas cada vez que a empresa decide adicionar outro canal porque cada vez que um canal é adicionado as relações existentes, responsabilidades e estrutura de compensação entre vários membros do canal são alteradas. e a empresa tem de debater e fixar com a maior precisão possível as novas relações, responsabilidades e estruturas de compensação. As reações dos clientes a essas novas relações e responsabilidades são muito importantes. Se um cliente é incomodado pelo novo arranjo, é provável que ele mude seu negócio. por exemplo, suponha que os telemarketing são adicionados como um novo canal sobre a força de vendas diretas que a empresa anteriormente implantou. Antes, a força de vendas fez todas as tarefas 01 a função de vendas para as contas existentes, a maioria das quais eram grandes, embora a empresa tinha começado a se concentrar na aquisição de pequenas contas. A força de vendas recebeu toda a Comissão proveniente destas contas. as novas responsabilidades podem correr da seguinte forma. Os telemarketing fazem todas as tarefas da função de vendas para as pequenas contas, mas se eles sentem que uma visita de um vendedor os ajudaria a fazer um negócio lucrativo, eles podem pedir ao vendedor que serve as grandes contas desse território para solicitar a conta, fazendo uma visita. os vendedores fariam a maior parte das tarefas da função de vendas para as grandes contas, mas os telemarketing seriam obrigados a gerir as questões de rotina com eles, sob a orientação das respectivas vendedores. A estrutura de compensação deve ser projetada de forma que o vendedor tenha o prazer de selar uma pequena conta a pedido de um telemarketing, pois ele será compensado pela tarefa de fazer uma visita. da mesma forma, o telemarketing não se importaria de partilhar uma parte da sua comissão porque compreende que se não fosse pela ajuda do vendedor, a Conta mais pequena não teria sido convertida. Da mesma forma, o vendedor se contenta em separar uma parte de sua Comissão das grandes contas, pois ele tem mais tempo para buscar novas contas e os telemarketing não se importam com algum rendimento extra para fazer algumas chamadas extras.

As grandes contas estão felizes por haver também algumas pessoas na empresa do vendedor, além de seu vendedor, que podem resolver pequenas dificuldades, e eles não têm que ser completamente dependentes dele ou esperar por sua visita para obter seus problemas resolvidos. As pequenas contas estão felizes porque suas objeções e consultas foram pessoalmente atendidas por um representante da empresa do vendedor.

As novas responsabilidades, relações e estruturas de remuneração podem não parece limpo, especialmente se muitos canais estão tentando servir a um grande conjunto de diversos clientes, mas não precisa, necessariamente, ser tão confuso como a maioria dos híbridos de canais. A ideia essencial é levantar estas questões difíceis e responder-lhes o mais rapidamente possível. pode ainda haver confusão e conflitos e estes têm de ser constantemente abordados e corrigidos. Uma empresa habitual entra em problemas empurrando para debaixo do tapete as questões desconfortáveis de responsabilidades, relacionamento e estrutura de compensação, e esperando que os membros de vários canais resolvam automaticamente essas questões entre si no devido tempo de lata. Podem, mas isso não será do interesse da empresa e dos seus clientes. Quem tem a ver com a gestão de um sistema de distribuição híbrido não ajuda a ser conveniente.

tipo # 2. Atacadista: um grossista é uma organização que serve de intermediário entre o fabricante retalhista para facilitar a transferência de produtos ou a troca de títulos para esses produtos – uma organização que vende produtos a fabricantes ou instituições que revendem o produto! as funções de um grossista São: função de quebra a granel-consiste em comprar produtos em quantidades relativamente grandes e em vender em quantidades menores.

II. Junção de acumulação a granel-trata-se de comprar pequenas quantidades de um produto participante a muitos pequenos produtores e, em seguida, vender a grande quantidade montada.

III. Selling Junction-this consists of classifying accumulated products as to grade size, and then grouping them Conformity. função de seleção-consiste em combinar produtos comprados a vários fabricantes para criar sorteios. função de compra-isto está associado à realização de uma compra e, portanto, afecta a transferência de propriedade de bens.

vi. Função de serviço-consiste em atividades que aumentam a eficiência e a eficácia do processo de Intercâmbio. Os Serviços de reparação e os Serviços de gestão são exemplos desses serviços. função de crédito-consiste em conceder crédito a outro membro de um canal de distribuição.

VIII. assumir a função de risco-isto significa assumir a responsabilidade .para perdas quando o futuro é incerto.

Tipo # 3. Distribuição física:

a distribuição física centra-se num movimento eficiente de bens a partir dos intermediários do fabricante e do consumidor. As decisões de distribuição de canais e físicos estão inter-relacionadas, mas as decisões de canais tendem a ser tomadas mais cedo. o objectivo da distribuição física é fornecer aos intermediários e clientes os produtos certos, nas quantidades certas, nos locais certos, no momento certo. a distribuição física eficaz poupa custos e melhora os níveis de serviço ao cliente. A co-poupança pode ser conseguida através da redução dos níveis de inventário, utilizando formas mais baratas de transporte e transporte a granel. Os níveis de serviço ao cliente podem ser melhorados pela entrega rápida e confiável, mantendo um inventário elevado para que os clientes tenham uma ampla escolha e a chance de estoque para fora são reduzidos, processamento de pedidos rápido e garantir que os produtos chegam nas quantidades certas e qualidade. III. a gestão da distribuição física diz respeito ao equilíbrio entre a redução de custos e o cumprimento dos Requisitos de serviço ao cliente. Os Tradeoffs são muitas vezes necessários, por exemplo, um inventário baixo e métodos de transporte lentos e mais baratos reduzem os custos, mas menores níveis de serviço ao cliente e satisfação também. Determinar este equilíbrio é uma decisão fundamental de marketing, uma vez que a distribuição física pode ser uma fonte de vantagem competitiva. a análise do mercado em termos de necessidades de serviço ao cliente e sensibilidade aos preços revelará dois segmentos. é importante definir o segmento de mercado-alvo e conceber uma mistura de comercialização adequada. Nos mercados industriais, as grandes empresas podem possuir a sua própria instalação de serviços, enquanto as pequenas empresas podem exigir serviços de fabricantes ou distribuidores como parte da oferta de produtos e podem estar dispostas a pagar um preço mais elevado.

vi. Serviço baixo precisa de alta sensibilidade preço. necessidades de Serviço elevadas, sensibilidade a preços baixos. além das trocas entre os custos físicos de distribuição e os níveis de serviço ao cliente, existem possíveis conflitos entre os elementos da própria distribuição física. A gestão do inventário pode favorecer os estoques baixos para reduzir os custos, mas se isso levar a estoque para fora isso pode aumentar os custos em outro lugar. A gestão do frete pode ter de aceitar custos mais elevados resultantes de uma entrega mais rápida de aeronaves. os contentores de baixo custo podem reduzir os custos de embalagem, mas aumentam os custos das mercadorias danificadas no trânsito. Este fato e a necessidade de coordenar a decisão de processamento de pedidos, inventário e transporte significa que a distribuição física precisa ser gerenciada como um sistema com a gestão supervisionando todo o processo. é importante que um único gestor gere a distribuição física de uma empresa e impeça os gestores de funções individuais, como o transporte, de maximizarem o seu desempenho e causarem danos à eficiência e eficácia globais do sistema. O gerente de distribuição física deve conciliar os conflitos inerentes ao sistema para que os custos totais sejam minimizados, sujeitos aos níveis de serviço ao cliente necessários. elementos do sistema de distribuição física: o objectivo do sistema de distribuição física é disponibilizar o produto ao cliente. As infra-estruturas, tais como o número e a localização dos armazéns, a disponibilidade de modos de transporte adequados e o nível de inventários que têm de ser mantidos em vários locais determinam a capacidade de resposta do sistema de distribuição física. 1. Serviço ao cliente-que nível de serviço ao cliente deve ser prestado? 2. Processamento de pedidos-como as ordens devem ser tratadas? 3. Controlo de inventário-qual a quantidade de inventário que deve ser mantido? 4. Armazenagem-onde se deve situar o inventário? Quantos armazéns devem ser utilizados? 5. Modo de transporte-que modos de transporte devem ser utilizados para transferir mercadorias a tempo e sem danos? 6. Manuseio De Materiais – Como Os Produtos Serão Manuseados Durante O Transporte? serviço Ao cliente:

serviço Ao cliente é a percentagem de pedidos que são preenchidos no tempo. É importante estabelecer padrões de serviço ao cliente. Um padrão de atendimento ao cliente pode ser que 90% das encomendas são entregues no prazo de 48 horas após a recepção e 10% são entregues no prazo de 72 horas. Padrões mais elevados significa custos mais elevados, uma vez que os níveis de inventário precisam ser mais elevados ou mais rápidos meios de transporte podem ter de ser utilizados. a gestão da distribuição física precisa estar ciente dos custos de cumprimento de vários padrões de serviço ao cliente (80, 90, 100% das encomendas entregues dentro de 48 horas), e satisfação extra do cliente que resulta do aumento dos padrões. a consistência de valor de alguns clientes no tempo de entrega e não a velocidade (entrega garantida dentro de 5 dias cada vez. as normas de Serviço Ao cliente podem ser o factor de diferenciação entre fornecedores. Podem ser utilizados como critério fundamental de escolha do cliente. Métodos de melhoria do Serviço Ao cliente: Melhorar a disponibilidade de produtos-níveis de estoque mais elevados, melhoria na precisão das entregas em termos de entrega no tempo prometido e em termos de entrega do sortimento certo de produtos. 2. Melhorar o tempo do ciclo de encomenda – menor tempo entre a encomenda e a entrega, melhorar a coerência entre o tempo de encomenda e o tempo de entrega. 3. Aumentar os níveis de informação-melhoria da informação dos vendedores sobre o inventário, melhoria dos níveis de informação sobre o estado da encomenda, rapidez na notificação ao cliente de atrasos iminentes. 4. Aumentar a flexibilidade-desenvolvimento de planos de contingência para ordens urgentes, uma estrutura para garantir um tempo de reação rápido a problemas imprevistos como o retorno do produto.

processamento de Pedidos:

A ideia é reduzir o tempo entre o consumidor que faz a encomenda e recebe a mercadoria. Uma ligação informática entre o departamento de encomendas e o vendedor é eficaz. Os computadores também podem verificar a notação de crédito do cliente e se os bens estão em estoque, emitindo uma ordem para a armazenagem, faturamento do cliente e atualização de registros de inventário. algumas questões básicas podem revelar áreas para melhoria. O que acontece quando um representante de vendas recebe uma ordem? O que acontece quando é recebido no departamento de encomendas? Quanto tempo demora a verificar o inventário? Quais são os métodos para verificar o inventário? Delinear os passos que serão seguidos nas situações acima revelará lacunas no processo para cumprir uma ordem do cliente. Os níveis de serviço ao cliente podem ser melhorados através da eliminação dessas lacunas. uma vez que o inventário representa o custo, os gestores financeiros procuram a minimização das acções. Mas o marketing quer grandes inventários para evitar o stock. O equilíbrio tem de ser encontrado especialmente à medida que os custos de inventário aumentam a uma taxa crescente à medida que o padrão de serviço ao cliente se aproxima a 100%. Ter sempre em estoque todo item concebível que um cliente poderia encomendar seria normalmente proibitivamente caro para as empresas que comercializam muitos itens.

uma solução é separar os itens em alta demanda e aqueles que estão em movimento lento. Um alto padrão de serviço ao cliente é então definido para itens de alta demanda, mas um padrão muito mais baixo é usado para aqueles menos em demanda. duas decisões de inventário relacionadas estão a saber quando e quanto encomendar para que as existências sejam reconstituídas. A menos que o stock seja tolerado, o ponto de ordem será antes do inventário chegar a zero. Isto porque há tempo de entrega entre a encomenda e o inventário de recepção, e não deve haver um estoque para fora como a empresa está esperando os itens encomendados para chegar.

Quanto mais variável for o tempo de avanço, maior será a flutuação na demanda do cliente durante o tempo de avanço e maior será a segurança ou reserva de segurança que a empresa será obrigada a manter para evitar um estoque para fora. A quantidade de inventário de segurança de um produto deve estar relacionada com a variabilidade da sua procura. Quanto maior for a variabilidade da procura de um período para outro, maior será o inventário de segurança para esse item.as encomendas de pequenas dimensões, frequentes, aumentam os custos de processamento das encomendas, uma vez que é necessário colocar mais encomendas, mas reduzir os custos de transporte das existências, uma vez que o inventário médio é menor. (O inventário médio realizado ao longo do ano é igual a metade do valor da ordem. Quando a frequência das ordens é aumentada, o valor da ordem é reduzido). Os grandes custos Pouco frequentes aumentam os custos de inventário, mas diminuem as despesas de processamento. O tradeoff é o EOQ (quantidade de Ordem Econômica). armazenagem: abrange todas as actividades necessárias à armazenagem das mercadorias entre o momento em que são produzidas e o momento em que são transportadas para o cliente. Estas atividades incluem a quebra de granel, fazer sorteios de produtos para entrega aos clientes, armazenamento e carregamento. Os armazéns mantêm as mercadorias durante períodos moderados. os centros de distribuição operam como locais centrais para o rápido movimento de mercadorias para lojas de varejo. As organizações de varejo usam centros regionais de distribuição onde os fornecedores trazem produtos a granel. Estes carregamentos são divididos em cargas que são rapidamente transportadas para lojas de varejo. Os centros de distribuição geralmente são altamente automatizados. Um computador lê ordens e controla empilhadores que recolhem mercadorias e as transportam para as docas de carga. a estratégia de armazenagem implica a determinação da localização e do número de entrepostos a utilizar. Em um extremo está um grande armazém para servir todo o mercado, no outro extremo está um número de pequenos armazéns que estão baseados perto dos mercados locais. Esta última opção melhora o serviço ao cliente, mas o custo é maior. O número ideal e a localização dos armazéns é um equilíbrio entre o serviço ao cliente e as considerações de custo.

modo de transporte:

A selecção do modo de transporte dependerá do tipo de produto, da urgência da entrega e do volume a ser transferido. uma empresa pode utilizar qualquer pessoa ou uma combinação dos seguintes meios para o transporte das suas mercadorias: 1. Caminhos – de-ferro-é certo que são eficientes no transporte de mercadorias volumosas a grandes distâncias, mas não há flexibilidade. Há transporte adicional por camião de e para um depósito ferroviário. Para pequenas quantidades, a utilização do carril seria pouco económica. 2. Estrada-é flexível devido ao acesso direto às empresas e armazéns. Os camiões podem transportar mercadorias do fornecedor para o receptor sem descarregarem em rota. 3. As vantagens do ar são capacidades de velocidade e de longa distância. É utilizado para o transporte de bens perecíveis e de emergência. Ele trabalha para reduzir o inventário. Espera-se que a carga aérea cresça. Mas é dispendiosa e há necessidade de transportar mercadorias por estrada de e para os terminais. 4. Transporte de água – é lento, mas barato. É usado para transportar mercadorias volumosas, de baixo valor, não perecíveis. É necessário o transporte rodoviário de mercadorias de e para as docas. 5. Tubulação – são meios confiáveis para o transporte de líquidos e gás. Requer pouca manutenção. A construção é cara e demorada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.